por Momento Espírita
5 Média 83
O que você achou desta mensagem?
@
@
Para enviar esta mensagem para mais de um(a) amigo(a), separe os endereços de e-mail por virgula. Você também pode adicionar uma mensagem




Há dias em que temos a sensação de que
chegamos ao fim da linha...
Não conseguimos vislumbrar uma saída viável para os problemas que surgem em grande quantidade.
Com você não é diferente. Você também faz parte desse mundo de provas e expiações desta escola chamada Terra
e já ter passado por um desses dias, e pensado em desistir...
No entanto, vale a pena resistir...
Resista um pouco mais, mesmo que as feridas latejem e que sua coragem esteja cochilando.
Resista mais um minuto e será fácil resistir aos demais.
Resista mais um instante, mesmo que a derrota seja um imã... mesmo que a desilusão caminhe em sua direção.
Resista mais um pouco, mesmo que os pessimistas digam
pra você parar. Mesmo que a sua esperança esteja no fim.
Resista mais um momento mesmo que você não possa avistar, ainda, a linha de chegada. Mesmo que a
insegurança brinque de roda a sua volta.
Resista um pouco mais, ainda que a sua vida esteja sendo pesada na balança dos insensatos e você se sinta indefeso como um pássaro de asas quebradas.
As dores, por mais amargas, passam...
Tudo passa...
A ilusão funciona, mas se desvanece...
A posse agrada, porém se transfere de mãos...
O poder apaixona, entretanto, transita de pessoa...
O prazer alegra, todavia, é efêmero.
A glória terrestre exalta e desaparece.
O triunfador de hoje, passa, mais tarde, vencido...
Tudo, nesta vida, tem um propósito...
A dor aflige, mas também passa.
A carência aturde, porém, um dia se preenche.
A debilidade física deprime, todavia, liberta das paixões.
O silêncio que entristece leva à meditação que felicita.
A submissão aflige, entretanto, fortalece o caráter.
O fracasso espezinha, ao mesmo tempo ensina
o homem a conquistar-se.
A situação muda, como mudam as estações...
O verão brinca de esconde-esconde com a brisa morna,
mas cede lugar ao outono, que espalha suas
tintas sobre a folhagem.
O inverno chega e, sem pedir licença, congela a brisa
e derruba as folhas.
Tudo parece sem vida, sem cor, sem perfume...
Será o fim? Não! Eis que surge a primavera e estende seus tapetes multicoloridos, espalhando o perfume no ar, reverdecendo novamente a paisagem...
Assim, quando as provas lhe baterem à porta, não se deixe levar pelo desejo de desistir, resista um pouco mais.
Resista, porque o último instante da madrugada é sempre aquele que puxa a manhã pelo braço...
E essa manhã bonita, ensolarada, sem algemas, nascerá para você, em breve, desde que você resista.
Resista, porque alguém que o ama está sentado na arquibancada do Tempo, torcendo muito para que você
vença e ganhe o troféu que tanto deseja: a felicidade...
Não se deixe abater pela tristeza.
Todas as dores terminam.
Aguarde que o Tempo, com suas mãos cheias de
bálsamo, traga o alívio.
A ação do Tempo é infalível e nos guia suavemente pelo caminho certo, aliviando nossas dores, assim como
brisa leve abranda o calor do verão.
Mais depressa do que supõe, você terá a resposta,
na consolação de quem necessita.
Por tudo isso, resista... e confia nesse abençoado
aliado chamado Tempo.

Redação Momento Espírita

Recomende esta mensagem

"A maior caridade que podemos fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação."

Chico Xavier & Emmanuel






Deixe seu comentário!