5 Média 83
O que você achou desta mensagem?
@
@
Para enviar esta mensagem para mais de um(a) amigo(a), separe os endereços de e-mail por virgula. Você também pode adicionar uma mensagem




Caminhando por lugares de campos verdejantes, um viajante sentindo fome buscou por uma árvore frutífera na esperança de saciar ou amenizar a sua fome.

Impressionado e já cansado não encontrou fruta alguma. Naquele momento o viajante recordou que guardara uma maçã em uma de suas bagagens e, saboreando-a, deixou cair no chão as sementes.

Após degustá-la levantou-se e continuou a sua caminhada, mesmo sem saciar totalmente a sua fome.

Mas era preciso seguir em frente,

a caminhada era longínqua e necessária.

Anos passaram-se e aquele viajante teve a oportunidade de retornar ao lugar em que havia tentado saciar a sua fome. Ficou surpreso quando observou que ali brotou, e estava carregada de maçãs, a árvore que nascera a partir das sementes caídas da única maçã que ele comera naquele lugar.

Essa história nos faz refletir sobre as sementes que estamos lançando nos solos pelos quais passamos.

É preciso ter certeza de que só colhemos da mesma espécie da semente que plantamos!

A bíblia nos alerta em Gálatas 6:7-8:

“Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no espírito, do espírito ceifará a vida eterna.”

Sendo assim, plante somente aquilo que você quiser colher! Nunca colheremos algo que não plantarmos!

Recomende esta mensagem

"A maior caridade que podemos fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação."

Chico Xavier & Emmanuel





Deixe seu comentário!