por Momento Espírita
5 Média 19
O que você achou desta mensagem?
@
@
Para enviar esta mensagem para mais de um(a) amigo(a), separe os endereços de e-mail por virgula. Você também pode adicionar uma mensagem




Vivemos dias de velocidades intensas. A tecnologia facilita a comunicação, acelera o transporte, coloca-nos em contato com o mundo, e tudo diminui.

O tempo da carta transformou-se nos segundos da mensagem eletrônica. Os dias da viagem tornaram-se as horas do avião e as conversas nas ligações telefônicas reduzem-se a rápidas mensagens de texto nos telefones portáteis.

Cada vez mais precisamos nos informar, cada vez mais buscamos estudar, cada vez mais tentamos acompanhar uma velocidade acelerada, que tanto nos assusta quanto beneficia.

Por isso não somos poucos a viver uma vida de intensos afazeres, muitos compromissos, a nos exaurirmos nas horas que parecem poucas para tanto a fazer.

Não temos certeza se conseguiremos cumprir com os compromissos, se manteremos nossa competência profissional, se bem educaremos nossos filhos...

Natural que desenvolvamos comportamentos de insegurança e ansiedade frente a tantas dúvidas e questionamentos.

E, a partir disso, geramos doenças de comportamento, fobias sociais, alterações de larga monta em nosso organismo físico e em nossa estrutura emocional.

Mergulhados em um oceano de problemas, esquecemo-nos de que a Providência Divina sempre esteve e continua a velar por tudo e por todos.

Retornamos ao mundo físico sob a proteção e tutela de um Deus misericordioso e provedor de todas as nossas necessidades.

Por essa razão é que Jesus nos aconselhou a que deixemos a cada dia as suas próprias necessidades.

Com isso, Jesus nos incita à fé, para que façamos a nossa parte, na medida que seja possível, e no rol de nossas responsabilidades.

O restante, aquilo que não há como ajudar, melhorar ou alterar, entreguemos nas mãos de Deus. Ele há de saber como melhor fazer.

Muitas vezes nos atribulamos com coisas que não há como modificar, ou nos angustiamos com situações onde não se pode prever o desfecho.

Nessas horas, a fé e o entendimento de que Deus nos provê com todos os recursos necessários serão sempre roteiro para mantermos a paz íntima.

Mesmo que algumas vezes não compreendamos de imediato o porquê dessa ou daquela situação que nos ocorre, façamos a nossa parte, guardando a certeza de que nunca estamos sozinhos.

Mantenhamos a consciência tranquila de ter feito tudo que estava ao nosso alcance, utilizando dos melhores recursos que dispúnhamos. A Providência Divina se encarregará de nos amparar.

Agindo assim, perceberemos que, mesmo nesses dias acelerados e intensos, não há porque desenvolvermos aflições desnecessárias e inúteis.

Tranquilizando a mente, usando da oração como recurso terapêutico, teremos sempre a paz necessária para enfrentar os desafios naturais da vida.

* * *

Busquemos sintonizar com nossos guias espirituais e conseguiremos galgar os degraus do progresso e da paz.

O Mestre de Nazaré nos prometeu que não nos deixaria a sós. Ele sempre esteve e permanece conosco, na condição de pastor de nossas almas, sol sublime que ilumina nossas vidas.

Lembremos disso em nossa trajetória, a cada dia, a cada hora e sempre que as dificuldades nos pareçam intransponíveis.

Redação do Momento Espírita.

Recomende esta mensagem

"A maior caridade que podemos fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação."

Chico Xavier & Emmanuel






Deixe seu comentário!