5 Média 64
O que você achou desta mensagem?
@
@
Para enviar esta mensagem para mais de um(a) amigo(a), separe os endereços de e-mail por virgula. Você também pode adicionar uma mensagem




A depressão afeta mais de 350 milhões de pessoas em todo o mundo.

Esta pequena animação tenta explicar um dos maiores problemas da face humana, pois infelizmente parentes e amigos não entendem o que se passam com uma pessoa com o problema..

Assista, que este vídeo pode te ajudar.

"Eu tinha um cachorro preto, seu nome era Depressão.

Sempre que o cachorro aparecia, eu me sentia vazio e a vida parecia tornar-se mais lenta. Ele me surpreendia com uma visita, sem razão ou ocasião. O cachorro preto me fazia parecer e me sentir mais velho do que eu era. Enquanto o resto do mundo parecia aproveitar a vida, eu via tudo através do cachorro. Atividades que antes me traziam prazer, subitamente pararam de me alegrar. Ele mastigou a minha memória e minha capacidade de concentração. Com ele, era necessária uma força sobrenatural para fazer qualquer coisa. Em eventos sociais, ele espantava para longe qualquer confiança que eu tinha. Meu maior medo era ser descoberto, eu me preocupava que as pessoas fossem me julgar. Por vergonha do cachorro preto, eu estava sempre preocupado em ser descoberto, então investi vastas quantidades de energia para escondê-lo. Manter uma mentira emocional é exaustivo. O cachorro preto podia me fazer pensar e dizer coisas negativas, ele conseguia me deixar irritado e de difícil convívio, ele tomava meu amor e enterrava minha intimidade. Ele adorava me acordar com pensamentos negativos e repetitivos, ele também gostava de me lembrar o quão cansado eu estaria no dia seguinte.
Ter um cachorro preto não é se sentir triste ou pra baixo. É pior, é não ter a capacidade de sentir. Eu envelhecia e o cachorro preto ficava maior, aparecendo toda hora. Eu tentava espantá-lo, mas ele sempre vencia. Cair se tornou mais fácil do que se levantar novamente. Com o tempo eu me tornei bom em me "auto medicar", coisa que não ajudava de verdade. Em certo ponto, me senti totalmente isolado de tudo e todos. O cachorro preto tinha finalmente conseguido sequestrar minha vida. Quando se perde a felicidade em viver, você começa a questionar qual é o motivo da vida. Foi quando eu procurei ajuda profissional. Meu primeiro passo para me recuperar e dar uma reviravolta em minha vida. Descobri que não importa quem você é, o cachorro preto afeta milhões de pessoas. Todos podem ser afetados por ele. Não existe pílula mágica; medicação ajuda alguns, outros precisam de outra abordagem. Também aprendi que ser emocionalmente sincero com as pessoas próximas pode mudar tudo. Acima de tudo, aprendi não temer o cachorro preto, e até ensinei alguns truques. Quanto mais cansado e estressado você está, mais alto ele late. Aprendi a ter a mente serena. Exercícios físicos são tão eficientes quanto medicamentos parar tratar a depressão. Colocar seus sentimentos pra fora pode ser catártico e revelador. Lembre-se das coisas as quais você é grato. Não importa quão ruim a sua vida esteja, tomar os passos certos e conversar com as pessoas certas farão os dias de cão passarem.
Eu não diria que sou grato ao cachorro preto, mas ele tem sido um professor incrível. Ele me forçou a reavaliar minha vida. Aprendi que ao contrário de correr dos meus problemas, devo enfrentá-los. Quem sabe o cachorro preto sempre faça parte da minha vida, mas ele nunca será a fera que já foi. Nós temos um acordo. Por meio do conhecimento, paciência, disciplina e humor, até o pior cachorro preto pode ser tratado.
Se você está com problemas, nunca tenha medo de pedir ajuda. Não existe vergonha alguma em pedir ajuda. A única vergonha é deixar a vida passar."

Recomende esta mensagem

"A maior caridade que podemos fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação."

Chico Xavier & Emmanuel





Deixe seu comentário!