por Tania Paupitz
5 Média 38
O que você achou desta mensagem?
@
@
Para enviar esta mensagem para mais de um(a) amigo(a), separe os endereços de e-mail por virgula. Você também pode adicionar uma mensagem




Tolerar é a capacidade de nos colocarmos no lugar do outro, procurando compreender e aceitar, da melhor forma, as diferenças com relação ao comportamento alheio. Olhando ao nosso redor não fica difícil constatar que a cada dia cresce o número de pessoas intolerantes no mundo, seja na família, no trabalho e, principalmente, no trânsito.

Dia destes, vendo televisão, deparei-me com um homem que estava parado ao lado de um ônibus num trânsito bastante caótico. De repente, ele saiu pela janela do seu carro, quebrando aos socos o vidro do motorista do ônibus; agredindo-o de forma violenta, quem sabe, por algum motivo banal. Numa outra situação, diante de uma fechada brusca, um motorista persegue o outro e acabam se agredindo no meio da rua.

Numa situação destas, percebe-se que as pessoas, de modo geral, estão "explodindo" por muito pouco, totalmente fora do seu controle emocional. A pergunta é: onde iremos parar com isso tudo?

Como será a geração futura das nossas crianças, quando presenciam tamanha barbaridade? São perguntas simples, porém, importantes para que possamos começar a nos conscientizar da total intolerância que vivenciamos. Somente através de uma conscientização, fazendo uma revisão geral na nossa vida, com relação às nossas posturas, valores e crenças, é que poderemos dar início a uma profunda mudança de comportamento.

Não podemos modificar o outro, mas podemos modificar a nós próprios, principalmente, com relação aos erros alheios.

Saber dos nossos limites, onde começa o meu e termina o seu, torna-se fundamental para o respeito mútuo. Se pararmos para observar, quando estamos desequilibrados, tudo parece conspirar para que a situação vivenciada aumente de tamanho, ou seja, a irritação, desconfiança, medo e insegurança tendem a ser tornar nossos maiores inimigos. Quantas vezes nos deparamos com pessoas que reagem de forma agressiva ante as adversidades da vida e depois acabam se arrependendo amargamente de suas atitudes impulsivas.

Antes que possamos pensar em agredir alguém, seja, física ou verbalmente, é importante pararmos para analisar se a situação fosse inversa; ou seja, e se fosse comigo? Ou ainda, qual será a consequência de minha atitude. Pensar, antes de tomar qualquer atitude impulsiva, sempre foi a melhor opção para o treinamento da tolerância.

Conta uma lenda que um sábio, diante de seus discípulos perguntou: - Como vocês reagiriam diante de uma pessoa que lhe desse um tapa no rosto? - O PRIMEIRO respondeu: "Mestre, com certeza eu lhe agrediria da mesma forma, revidando o tapa". - O SEGUNDO disse: "Também devolveria o tapa, reagindo com mais violência". - O TERCEIRO continuou: "Não reagiria à agressão; porém, muito ofendido e magoado lhe questionaria as razões para tamanha violência". - O QUARTO finalmente respondeu: "Não reagiria. Nutriria pelo mesmo um enorme sentimento de compaixão lhe questionando: o que houve com você? Posso ajudá-lo de alguma forma?

Exercitar a tolerância nos permite ver as situações de formas diferentes, procurando de alguma forma elevar nosso nível de consciência, para que não nos joguemos diante das situações de forma impulsiva e descomedida. Quanto mais consciente uma pessoa é, mais chances terá de ser tolerante com seus próprios erros e também, com o dos outros...❞

Autoria: Tania Paupitz

Recomende esta mensagem

"A maior caridade que podemos fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação."

Chico Xavier & Emmanuel





Deixe seu comentário!