5 Média 32
O que você achou desta mensagem?
@
@
Para enviar esta mensagem para mais de um(a) amigo(a), separe os endereços de e-mail por virgula. Você também pode adicionar uma mensagem




1 – A depressão não tratada pode aumentar o risco de outras doenças e transtornos psicológicos. Alguns estudos indicam que os sintomas prolongados da depressão severa aumentam o risco de morte da maioria das grandes causas, incluindo doenças cardíacas, derrame, doenças respiratórias (como pneumonia e gripe), e condições do sistema nervoso (como a doença de Parkinson e esclerose múltipla).

2 – A depressão deve ser encarada com seriedade e compaixão. É importante que os familiares e amigos e pessoas em geral, ofereçam o mesmo tipo de apoio e compaixão com quem sofre de depressão, exatamente da mesma forma que ofereceriam às pessoas com artrite reumatóide, lúpus, cancro, ou qualquer outra doença socialmente aceitável. Importa que a população em geral seja mais compassiva e compreensiva com as pessoas que sofrem com a depressão.

3 – Importa perceber que a prática de atividades consideradas benéficas para a melhoria da depressão, não podem ser consideradas tratamento ou terapia. Existem muitas práticas complementares que podem ser inseridas num programa de tratamento, como a meditação, yoga, atividade física, música, relaxamento, dietas, mas não podemos considerá-las como terapia.

4 – A pessoa com depressão, não está deprimida 24 horas por dia. Apesar do enorme tormento emocional que sofre, existem momentos que a pessoa deprimida consegue experimentar alegria e satisfação. A alegria, contentamento e satisfação podem coexistir com um transtorno de humor. Esta ideia permite que a pessoa ganhe uma compreensão acerca do seu problema, e que ela não se resume à expressão incapacitante: “Eu sou uma pessoa deprimida“.

5 – É utópico esperar que a pessoa com depressão melhore apenas tendo pensamentos positivos. Superar a depressão está muito para além de voltar a ter pensamentos positivos. Ainda que implementar o pensamento positivo na forma de raciocinar seja importante, muito mais terá de ser realizado.

6 – Os medicamentos nem sempre são a melhor forma de tratamento. Eles podem ser necessários e ter a sua importância numa primeira fase do tratamento, mas podem não ser suficientes. Por este motivo, eu defendo que deverá existir uma complementaridade da medicação com a terapia psicológica. Muitos estudos revelam que existe uma elevada percentagem de pessoas que não respondem positivamente aos medicamentos, e que, em alguns casos a medicação (ou o excesso de medicação associada à depressão) contribui para o desenvolvimento de outros problemas associados.

7 – A depressão é um transtorno de humor bem conhecido pelos profissionais de saúde mental. Quero alertar que a depressão não é causada por um problema energético, por estar possuído por um demónio, ou por problemas espirituais, e que necessita de um exorcismo, ir à bruxa ou fazer uma limpeza dos chakras. A depressão é um transtorno de humor que está bem identificado no DSM-IV (Manual Diagnóstico e Estatística de Transtornos Mentais) e deve ser olhado à luz deste conhecimento.

8 – Alguns alimentos beneficiam o humor, mas não são a solução. Informo que algumas dietas podem beneficiar a pessoa que sofre com a depressão, no entanto, você pode eliminar o glúten, laticínios, cafeína, álcool e açúcar da sua dieta e continuar a ter pensamentos depressivos e angustiantes. O óleo de peixe, a vitamina B 12, e um bom probiótico pode muito bem melhorar o seu humor, mas eles não são elementos mágicos. Ainda que você adira a uma dieta que possa ajudar a superar a depressão, preferencialmente você deve procurar um profissional de saúde mental.

9 – Uma das causas que mais impossibilita a melhoria da pessoa com depressão, é a solidão e isolamento, que se manifesta na incapacidade de expressar a angústia que se sente. A cultura de “felicidade” e sorriso na cara, em que todos vivemos, aumenta ainda mais o estigma da pessoa que sofre, porque as pessoas deprimidas sentem-se envergonhadas e desprezadas ao revelarem o seu problema. Importa que a pessoa com depressão procure alguém de confiança para conversar ou pedir ajuda, mas acima de tudo deverá procurar um profissional.

10 – As pessoas que sofrem com a depressão são iguais a todas as outras pessoas. As pessoas deprimidas não são necessariamente preguiçosas, desmotivadas ou fracas. Elas não estão tentando simplesmente chamar a atenção, o sofrimento é legítimo e deve ser levado em consideração com seriedade.

11 – As pessoas com depressão não estão a mentir acerca da sua desesperança ou perda de prazer pela vida, esse sentimento pode ser legítimo. No entanto, apesar disso, importa que se acredite nesse sofrimento, e que se mostre as várias possibilidades de voltar a ganhar significado e prazer pela vida. Acreditar na pessoa com depressão e igualmente acreditar que é possível ela superar o seu problema, é um grande impulsionador para a melhoria.

12 – É importante que as pessoas saibam que a depressão por vezes é desencadeada por alguma coisa tangível, e às vezes não é, que às vezes uma pequena coisa é o suficiente para puxar a pessoa para fora da escuridão, e às vezes nada é capaz de fazer emergir a esperança. Por vezes, a única coisa que se pode fazer é acreditar que os sintomas incómodos irão diminuir se a pessoa investir em atividades que tragam retorno positivo.

autor: Miguel lucas

Fonte: http://www.escolapsicologia.com/12-aspetos-que-as-pessoas-deveriam-saber-acerca-da-depressao/

Recomende esta mensagem

"A maior caridade que podemos fazer pela Doutrina Espírita é a sua divulgação."

Chico Xavier & Emmanuel





Deixe seu comentário!